quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Grupo Amigos Solidários arrecada doações para distribuição de sopão e cuscuz no Frei Damião






Desde agosto de 2015, iniciou na comunidade Frei Damião de Caicó, uma rede solidária, com objetivo de amenizar as várias dificuldades vivenciadas naquele bairro, inclusive, referente a alimentação.


Inicialmente um pequeno grupo de pessoas começou a fazer distribuição de sopa, ou feijoada, a cada 15 dias, na comunidade. Com o passar do tempo, cresceu a vontade de fazer semanalmente e escolheram fazer o “sopão” com cuscuz, por serem alimentos práticos, nutritivos e sem muito custo financeiro.


Neste ano de 2016, o grupo intitulado de Amigos Solidários, conta com cerca de 20 pessoas à frente da organização. Eles juntos fazem doações, arrecadam ingredientes com outras pessoas, levam o material em transportes próprios para a comunidade, e cozinham o sopão e o cuscuz; distribuindo com todas as famílias da comunidade.


“Hoje o sopão e o cuscuz são doados semanalmente, inclusive, o cuscuz de cada semana é realizado com 30 pacotes de flocão. E ficamos felizes com a satisfação da comunidade. Além da distribuição de sopão e cuscuz, sempre que é possível realizamos doações de roupas e calçados usados. No Dia das Crianças foi feito almoço para as crianças e seus pais e houve muita brincadeira e distribuição de lancheiras. Um fato que muito nos marcou foi quando no ano passado, também através de doações, conseguimos comprar um carro pipa para amenizar a sede da comunidade.  O tanque foi abastecido e todas as famílias puderam levar um pouco d’água para casa”, diz emocionado o jovem Luiz Santos, que é um dos organizadores da ação solidária, desde o início.


No grupo também está Sandra Fotógrafa, que também contribui fazendo fotografias que enriquecem a divulgação do trabalho à serviço da comunidade, divulgando na rede social e assim ampliando a arrecadação de doações. 


“Percebemos que, na semana que não havia divulgação em rede social, ou em outro meio de comunicação, havia dificuldade de arrecadar alimentos. Com a página em rede social, a participação das pessoas aumentou. As vezes ignoram o fato da ação de caridade ser divulgada, mas, fazemos por uma necessidade de que a rede solidária aumente; no sentido de melhor proporcionar o trabalho a serviço da comunidade”, explica Luiz. 


Para a doação de ingredientes para doação de sopa e cuscuz, o grupo Amigos Solidários arrecada: batatinha, cenoura, cebola, leite, alho, tempero completo, coentro, macarrão e flocão. As doações podem ser realizadas nas Lojas O Boticário, de Caicó, ou entrando em contato com Luiz pelo telefone (84) 9 9684-4582

Anna Jailma
FOTOS - SANDRA FOTÓGRAFA

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Movimento de Ocupação Estudantil realiza Diálogo Aberto hoje, na UFRN


“Acreditamos fortemente que só a luta muda a vida e que existe a real necessidade de agirmos agora, pois nosso futuro está em perigo.” 
( Trecho da Nota do Movimento de Ocupação de Caicó)


Continua a Ocupação no Campus da UFRN aqui em Caicó. Entre os que estão ocupando o CERES estão estudantes da UFRN, bem como, estudantes de outras escolas de Caicó. A Ocupação também conta com professores, inclusive de outras universidades. 

Na data de hoje, dia 1º de novembro, haverá Diálogo Aberto entre estudantes e professores, no pátio da Cantina do CERES, a partir das 20h, debatendo o assunto. 

Para o Diálogo de hoje, os integrantes do Movimento confeccionaram cartazes que expressam o espírito de luta, e de combate ao ato de se acomodar ou permanecer 'em cima do muro': "Quem se cala apoia o opressor", "Diante da Injustiça não existe neutralidade", além de tantos outros.

O Movimento de Ocupação Estudantil iniciou dia 25 de outubro e permanece por tempo indeterminado, em oposição a PEC 241, que já foi aprovada na Câmara dos Deputados e será votada no Senado como EC 55/2016. Em nota lançada pelos integrantes do Movimento, eles destacam: 

Cartazes feitos pelos integrantes do Movimento
“Nos opomos fortemente a aprovação da PEC 241 que pretende limitar os investimentos estatais durante os próximos 20 anos, bem como a outras medidas que claramente tem como objetivo o benefício das classes altas em detrimento das classes desfavorecidas, como a Reforma do Ensino Médio e outros projetos de amordaçamento da população”.

A nota acrescenta: “A ocupação tem como objetivo principal a mobilização de todas as categorias do CERES – corpo discente e corpo docente, bem como servidoras e servidores para uma greve geral unificada de tempo indeterminado, movida por uma pauta comum”

Parte da Biblioteca Autônoma montada pelo Movimento
Na UFRN os ocupantes realizam plenárias, exibem filmes que provocam a reflexão e realizam debates, em roda de conversa, além de estudar sobre a situação política do país; inclusive, através da Biblioteca Autônoma que eles montaram na ocupação, favorecendo a leitura e o entendimento sobre a situação política do país e a referida PEC. 

Para permanecerem na Ocupação os estudantes recebem doações diversas de alimentos; cozinham na própria UFRN, e dormem acampados em barracas distribuídas pelo Campus. Eles persistem unidos, e sobretudo bem informados.  Constantemente são realizados grupos de estudo, inclusive no último sábado, às 15h, o Grupo de Estudos esteve reunido sobre a PEC 241, aberto ao público. 

Também acontece frequentemente o Cine Debate, onde são exibidos filmes que provocam o debate sobre o momento atual no Brasil, como "Acabou a Paz" e o documentário "Yndio do Brasil" que contou com aula pública ministrada pelo professor Dr Fábio Mafra na praça do CERES.

Até o momento o Movimento permanece por tempo indeterminado no CERES. 

Pelo Brasil, conforme a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas - UBES, em balanço de 28 de outubro, já somavam 1.197 escolas ocupadas pelo país. 


Anna Jailma
Fotos - Ocupação CERES


Movimento de Ocupação Estudantil realiza Debate Aberto hoje, na UFRN


“Acreditamos fortemente que só a luta muda a vida e que existe a real necessidade de agirmos agora, pois nosso futuro está em perigo.” 
( Trecho da Nota do Movimento de Ocupação de Caicó)


Continua a Ocupação no Campus da UFRN aqui em Caicó. Entre os que estão ocupando o CERES estão estudantes da UFRN, bem como, estudantes de outras escolas de Caicó. A Ocupação também conta com professores, inclusive de outras universidades. 

Na data de hoje, dia 1º de novembro, haverá Diálogo Aberto entre estudantes e professores, no pátio da Cantina do CERES, a partir das 20h, debatendo o assunto. 

Para o Diálogo de hoje, os integrantes do Movimento confeccionaram cartazes que expressam o espírito de luta, e de combate ao ato de se acomodar ou permanecer 'em cima do muro': "Quem se cala apoia o opressor", "Diante da Injustiça não existe neutralidade", além de tantos outros.

O Movimento de Ocupação Estudantil iniciou dia 25 de outubro e permanece por tempo indeterminado, em oposição a PEC 241, que já foi aprovada na Câmara dos Deputados e será votada no Senado como EC 55/2016. Em nota lançada pelos integrantes do Movimento, eles destacam: 

Cartazes feitos pelos integrantes do Movimento
“Nos opomos fortemente a aprovação da PEC 241 que pretende limitar os investimentos estatais durante os próximos 20 anos, bem como a outras medidas que claramente tem como objetivo o benefício das classes altas em detrimento das classes desfavorecidas, como a Reforma do Ensino Médio e outros projetos de amordaçamento da população”.

A nota acrescenta: “A ocupação tem como objetivo principal a mobilização de todas as categorias do CERES – corpo discente e corpo docente, bem como servidoras e servidores para uma greve geral unificada de tempo indeterminado, movida por uma pauta comum”

Parte da Biblioteca Autônoma montada pelo Movimento
Na UFRN os ocupantes realizam plenárias, exibem filmes que provocam a reflexão e realizam debates, em roda de conversa, além de estudar sobre a situação política do país; inclusive, através da Biblioteca Autônoma que eles montaram na ocupação, favorecendo a leitura e o entendimento sobre a situação política do país e a referida PEC. 

Para permanecerem na Ocupação os estudantes recebem doações diversas de alimentos; cozinham na própria UFRN, e dormem acampados em barracas distribuídas pelo Campus. Eles persistem unidos, e sobretudo bem informados.  Constantemente são realizados grupos de estudo, inclusive no último sábado, às 15h, o Grupo de Estudos esteve reunido sobre a PEC 241, aberto ao público. 

Também acontece frequentemente o Cine Debate, onde são exibidos filmes que provocam o debate sobre o momento atual no Brasil, como "Acabou a Paz" e o documentário "Yndio do Brasil" que contou com aula pública ministrada pelo professor Dr Fábio Mafra na praça do CERES.

Até o momento o Movimento permanece por tempo indeterminado no CERES. 

Pelo Brasil, conforme a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas - UBES, em balanço de 28 de outubro, já somavam 1.197 escolas ocupadas pelo país. 


Anna Jailma
Fotos - Ocupação CERES


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Comitiva do STTR sabugiense esteve em Natal tratando de titularidade de posse de terras

Gadelha e comitiva sabugiense em Natal
Na última quarta-feira , dia 26, uma comitiva do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais - STTR, de São João do Sabugi RN, esteve em Natal, RN, em reunião com Adriano Gadelha, assessor parlamentar da Senadora Fátima Bezerra. 

O objetivo da reunião foi a entrega de um ofício com solicitação de titularidade de posse de terras, para as famílias localizadas em área pertencente ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas - DNOCS.

Estiveram na reunião em Natal, Joseilson Medeiros - presidente do STTR, Aldenir Araújo, Coordenador da Comissão de Jovens do STTR. Com os representantes do Sindicato, estavam Cida Julião - secretária de Finanças do PT em São João do Sabugi e Israel do Mel, membro do STTR e recém-eleito vereador em São João do Sabugi pelo PC do B.

Avaliando o contato com o assessor parlamentar da senadora, a comitiva considera positiva esta reunião, e destacam que Adriano Gadelha foi receptivo; destacando que está a disposição para contribuir com a solicitação apresentada; inclusive intermediando as partes. 

Anna Jailma

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Campus da UFRN em Caicó está ocupado pela comunidade acadêmica







O CERES – UFRN/Campus Caicó está ocupado por estudantes, professores e demais integrantes da comunidade acadêmica. 

Estão acampados no Campus da UFRN e tem o objetivo de promoverem o diálogo com toda a comunidade acadêmica do CERES, inclusive corpo discente, docente, e técnico-administrativo; com  plenárias diárias, eventos culturais, debates políticos e demais manifestações, podendo assim incrementar as mobilizações contra a PEC241 e todas as propostas do governo Temer que ferem a garantia dos direitos humanos no Brasil. 

Entre as hastags usadas estão o "não a reforma do Ensino Médio" e "não as privatizações".  

Dentro da organização da Ocupação estão a comissão de comunicação, comissão jurídica, comissão de infraestrutura e segurança, comissão de provisão alimentar, e a comissão de secretaria e tesouraria.

Também está em circulação no Campus da UFRN, abaixo-assinado para reunir assembleia geral estudantil e haver discussão sobre greve discente. 

Entre as principais metas à serem alcançadas estão:
- Assegurar a não criminalização do movimento, resguardando os
participantes de todo tipo de penalidade policial ou acadêmica;
- Tornar os gastos e prioridades do orçamento financeiro do CERES transparentes a todos os discentes do campos, dando enfase no planejamento para o ano de 2017, de acordo com a redução prevista da verba da UFRN-campos central, em função dos ajustes do governo Temer;
- Pressionar para que o corpo docente local inicie uma greve geral de professores;
- Pressionar para que o corpo discente inicie uma greve geral estudantil;
- Promover eventos, plenárias e culturais que contribuam para a articulação de debates políticos entre todos os estudantes do campos local, as escolas da educação básica e todos os membros da sociedade civil caicoense; 
- Lutar pela construção de um Restaurante Universitário no Centro de Ensino Superior do Seridó;
- Promover a articulação do Movimento de Ocupação Estudantil do CERES/CAICÓ com todas as escolas da cidade, os Institutos Federais de Ensino Médio Técnico, e todas as faculdades e Universidades da região, objetivando a efetivação de um movimento de ocupação regional integrado.


Anna Jailma 
Fotos - OcupaCeresCaicó 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

A Morte e o Morrer vão ao palco de Arte e Vida

A Morte e o Morrer é o novo espetáculo da Cia. de Teatro Arte e Vida, de Caicó, RN, interpretado pelo ator Bruno César, com texto de Lando Augusto e direção de Hocélio Silva.

Por mais que qualquer estudo avance na ciência ou qualquer outra área, a morte é sobretudo, um mistério, difícil de lidar pela humanidade.

No espetáculo, a morte se apresenta para o público desnudando-se, e ao mesmo tempo, provocando reflexões sobre o ser “humano”. O mistério, que circunda a morte é alimentado pela trilha sonora, maquiagem, figurino e efeito na luz, fazendo a perfeita junção de mistério, dramaticidade e plasticidade.

No diálogo da morte com o público, ela expõe como enxerga o ser humano e também procura transparecer o máximo de si: “Eis um pequeno fato: você vai morrer. Isso te preocupa? Insisto, não tenha medo. Sou tudo, menos injusta.”


O ator, e diretor do Centro Cultural Adjuto Dias, Alexandre Muniz, ressalta a qualidade do espetáculo no sentido de conquistar novos palcos para a Companhia de Teatro Arte e Vida “O espetáculo nasce em busca de novos caminhos para a Cia. Ou melhor, de novos palcos e vivências que possam contribuir às artes cênicas do interior do Rio Grande do Norte e assim termos uma pesquisa teatral cada vez mais forte no nosso sertão do Seridó. Por fim, sobre a morte e o morrer, apenas mais uma nota: Os seres humanos me assustam”, diz Alexandre Muniz.

Anna Jailma - jornalista

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Artista de Caicó é expositor em Colóquio Franco-Brasileiro em Natal




O artista plástico de Caicó, Custódio Medeiros, está participando como expositor no IV Colóquio Franco-Brasileiro “Fabriquer la culture / Fabricar a cultura”, que acontece em Natal, de 25 a 31 de outubro, promovido pelo departamento de antropologia do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes - CCHLA da UFRN.


A Exposição “Coletivo Casa de Pedra”, reúne arte e objetos, gerados na Casa de Pedra de Caicó, berço das artes de Custódio Medeiros, Rachel Lúcio e Adonay Dantas: “ São fotos de nossos trabalhos, colagem, xerox e intervenção, também”, explica Custódio.


A abertura do Colóquio Franco-Brasileiro, acontece na terça-feira, dia 25, 18h, com apresentação cultural Grupo de Rabecas da Escola de Música da UFRN, e estreia da Exposição Coletivo Casa de Pedra que permanece no Hall do Auditório B do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes ( CCHLA).


Neste evento, o caicoense Custódio Medeiros também fará Oficina Gravuras Alternativas.

O Colóquio Franco-Brasileiro tem objetivo de ampliar o diálogo antropológico entre Brasil e França, reunindo pesquisadores franceses e brasileiros oriundos de áreas como Sociologia, História, Geografia e Políticas Públicas, interessados em discutir a questão cultural numa perspectiva antropológica. 


Trata-se de uma iniciativa do grupo de pesquisa Cultura, Identidade e Representações Simbólicas (CIRS) da UFRN e da Aliança Francesa de Natal, com apoio do Consulado Geral da França em Recife. Outras informações: (84) 3342 2242

Anna Jailma