quinta-feira, 26 de março de 2015

Alexandre Muniz é nomeado diretor do Centro Cultural em Caicó





Amanhã, sexta-feira, Dia Mundial do Teatro, 27 de março, o Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte tem na sua edição a nomeação de Alexandre Freire Muniz como diretor do Centro Cultural Adjuto Dias.
Alexandre é pedagogo, arte educador, presidente da Associação União do Sobrado e tem inclusive viabilizado, junto a outros profissionais do âmbito artístico e cultural, a aprovação de projetos importantes para Caicó, que serão desenvolvidos já ao longo deste ano.
Há meses que Caicó vivencia mobilizações dos artistas, apoiados pela sociedade civil organizada,com o Movimento Artistas na Gestão Cultural. De forma organizada, os artistas criaram comissão, realizaram o abraço coletivo ao Centro Cultural, criaram fan page em rede social, fizeram fotografias com a tag #artistasnagestãocultural e vídeos com a população e representantes de instituições, em especial com artistas do Seridó, demonstrando a vontade de todos em prol do nome de Alexandre Muniz à frente do Centro Cultural.
Outro fato marcante nas mobilizações foi a Virada Cultural realizada dia 14 de março, Dia da Poesia, quando todos os artistas permaneceram 12 horas - do meio dia à meia noite - em frente ao Centro Cultural realizando as mais diversas apresentações de arte junto a população. Foram 12 horas mostrando os diversos trabalhos que podem - e devem - acontecer naquele espaço para a população.
Apesar de receber o Centro Cultural já com recomendação de suspensão das atividades devido problemas não solucionados em reforma de um ano atrás, certamente Alexandre Muniz irá resolver esta situação e administrar com competência, ocupando aquele espaço com arte, cultura popular e sobretudo, com o compromisso de quem entende, sente e faz acontecer a cultura em Caicó.
A nomeação de Alexandre é uma conquista dos artistas e da população de Caicó e região. Quando a cultura acontece, o desenvolvimento social é uma consequencia natural, inclusive, no aspecto social.
Parabéns ao Governo do Estado que cumpriu seu compromisso de fazer valer a gestão participativa.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Foto/imagem: Movimento dos Artistas na Gestão Cultural

PEC para redução da maioridade penal foi adiada para dia 30



Foto Givaldo Barbosa/O Globo - Manifestantes protestam na votação da PEC

Para vencer a obstrução contra a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que reduz a maioridade penal, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Arthur Lira (PP-AL), anunciou hoje, dia 26, que até ser votado, o projeto vai constar como único item da pauta. Ele encerrou a sessão de hoje sem conseguir iniciar a votação da emenda, devido manobras regimentais de deputados do PT e do PSOL.
O presidente da Comissão também decidiu que vão ser realizadas duas sessões diárias, uma ordinária e uma extraordinária, para a votação desta PEC. O anúncio irritou os que são contra a redução da maioridade penal. Anunciando "não, não, não a redução", os manifestantes criticaram deputados que deixavam a sessão da CCJ. Uma nova sessão ficou para a próxima segunda-feira, dia 30, às 14h30.
O projeto será item único até que o colegiado decida sobre a admissibilidade do texto. Tal decisão consiste em um exame preliminar feito pela CCJ, no prazo de 5 sessões no Plenário da Câmara, sobre aspectos como legalidade e técnica legislativa do texto. Se admitida, o próximo passo será enviar a PEC para uma comissão especial, que vai avaliar o mérito da proposta. Caso haja inadmissibilidade, a PEC será arquivada se não houver recurso.
O deputado Capitão Augusto (PR-SP), que só trabalha fardado e já foi criticado por colegas publicamente, ao sair provocou os manifestantes contrários á redução da maioridade. O deputado decidiu confrontar os manifestantes e afirmou que o projeto seria votado e aprovado. A atitude do deputado provocou um pequeno tumulto na comissão, mas a situação foi controlada pelos seguranças.
ARGUMENTOS CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL:  Grupos que são contrários a redução da maioridade penal apontam vários argumentos para o “não a redução”. Entre os argumentos está a afirmativa de que estes adolescentes já são responsabilizados pelo ato infracional; já que a partir dos 12 anos, qualquer adolescente é responsabilizado pelo ato cometido, sendo executada por meio de medidas socioeducativas previstas no ECA.
Também é argumentado que a lei já existe e resta ser cumprida, porque o ECA prevê seis medidas educativas: advertência, obrigação de reparar o dano, prestação de serviços à comunidade, liberdade assistida, semiliberdade e internação, sendo aplicada de acordo com a capacidade de cumpri-la, as circunstâncias do fato e a gravidade da infração.
Vale destacar que o adolescente pode ficar até 9 anos em medidas socioeducativas, sendo três anos interno, três em semiliberdade e três em liberdade assistida, com o Estado acompanhando e ajudando a se reinserir na sociedade.
Além disso, é destacado que não há dados que comprovem que o rebaixamento da idade penal reduz os índices de criminalidade juvenil. Ao contrário, o ingresso antecipado no falido sistema penal brasileiro expõe as(os) adolescentes a mecanismos/comportamentos reprodutores da violência, como o aumento das chances de reincidência, uma vez que as taxas nas penitenciárias são de 70% enquanto no sistema socioeducativo estão abaixo de 20%.

Fonte: O Globo e Congresso em Foco
Anna Jailma – jornalista e blogueira

Reforma do Centro Cultural de Caicó tem sua qualidade comprometida em pouco mais de 1 ano




Em vistoria realizada no Centro Cultural Adjuto Dias, de Caicó, o Corpo de Bombeiros identificou “infiltrações” na cobertura, comprometendo a instalação elétrica, e recarga de extintores com “validade vencida”. Diante disso, houve recomendação de que as atividades sejam suspensas.
A atual gestão do Centro Cultural divulgou ofício emitido em fevereiro deste ano, precisamente em 24 de fevereiro - há cerca de 30 dias - para a Fundação José Augusto, informando os problemas. 
Ocorrem questionamentos sobre o posicionamento de Rodrigo Bico, presidente da Fundação José Augusto. Porém, vale destacar que a última reforma daquele espaço foi concluída em fevereiro de 2014. Precisamente em 1º de fevereiro de 2014, a então presidente da Fundação José Augusto Isaura Rosado, deu entrevista a imprensa local - Rádio Caicó AM e blog de Sidney Silva - divulgando a finalização da reforma do Centro Cultural Adjuto Dias e a sua reinauguração em março de 2014.
Interessante frisar que no ofício emitido neste ano ao gestor da FJA, é informado validade dos extintores vencida em 2013. Então leva-se a crer que quando ocorreu a finalização da reforma - em 2014 - os extintores já estavam vencidos. E assim permaneceram...
O questionamento cabível ao momento é sobre a validade - e a qualidade - desta reforma. Em um ano, o espaço já necessita de urgente reforma, porque do contrário o seu funcionamento fica comprometido, com recomendação de suspensão de atividades. Então, que qualidade teve esta reforma anterior?! Deveria realmente ter voltado a funcionar?A então gestão da Fundação José Augusto, de 2014, e a gestão do referido Centro Cultural - que permanece no cargo - demonstram terem pecado naquele momento.
Vale também lembrar que somente a pouco mais de 30 dias o atual gestor da Fundação José Augusto foi comunicado desta necessidade, visto que a data do ofício encaminhado é de 24 de fevereiro deste ano. Este não é um tempo hábil para início de reformas, muito menos em prédio público reformado recentemente.
A reforma está dentro do prazo de garantia, afinal há um ano foi finalizada. Logo, a qualidade desta reforma deixa a desejar. A torcida é para que o atual gestor da FJA, Rodrigo Bico, consiga resolver este "impasse' e que a solução buscada por ele, seja acatada pelo governador Robinson Faria, afinal, pelo andamento dos acontecimentos, a incompetência não parte de Rodrigo Bico.

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto: Movimento dos Artistas na Gestão Cultural 

Prefeitura de Caicó e Câmara Municipal buscam soluções concretas para fortalecer a Casa do Estudante






Na manhã desta quinta-feira, dia 26, os vereadores Nildson Dantas (PROS), Lobão Filho (PMDB) e Ivanildo do Hospital (PROS), estiveram reunidos com o prefeito em exercício Oriel Segundo de Oliveira, com a secretária municipal de educação, cultura e esporte Socorro Mariz, diretor da 10ª DIRED Sérgio André, representante do IDESA, Augusto Maia e uma comissão de estudantes, sócios da casa do estudante.
A reunião foi provocada pelos vereadores, com objetivo de solucionar as dificuldades constantemente enfrentadas pela Casa do Estudante ao longo dos anos.
A Câmara Municipal através do seu presidente, Nildson Dantas, acionou a assessoria jurídica, para que junto com o advogado João Braz, possam dar agilidade para a legalização jurídica da casa.
A prefeitura de forma urgentíssima vai enviar um engenheiro para avaliar duas vigas, que segundo os estudantes, representam um grande perigo pra integridade física dos estudantes. Ficou decidido que tanto o Poder Legislativo quanto o Poder Executivo, vão dar todo o apoio para que a questão jurídica seja resolvida o mais rápido possível.  

Foto/Fonte: Assessoria da Câmara Municipal de Caicó

Prêmio Conexão Elefante Cultural, teve divulgação de projetos selecionados


A comissão de seleção divulgou o resultado final dos espetáculos em circulação contemplados pelo Prêmio Conexão Elefante Cultural. Os projetos selecionados foram: DANÇA: Companhia de Dança do Teatro Alberto Maranhão; CIRCO: Grock Entretenimento; LITERATURA: Celina Arte e Educação/Trotamundos Cia de Artes.
As inscrições foram encerradas no dia 17 de março e segunda-feira, foram lançados oficialmente os selecionados para participar da Trupe do Elefante, projeto que em abril deste ano irá percorrer por ruas e praças das quatro zonas do Natal e mais quatro cidades: Ceará-Mirim, Macaíba, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante.
Sob o patrocínio do Esmeralda Praia Hotel, através do Programa Djalma Maranhão e o incentivo da Prefeitura Municipal do Natal/FUNCARTE, o Projeto nomeado por Conexão Elefante Cultural, no período de 18 de abril a 02 de maio irá percorrer a capital e cidades da Grande Natal, ocupando espaços públicos e levando arte para as comunidades.
O Conexão Elefante Cultural pretende fomentar atividades que busquem, nas apresentações de rua, um novo significado para a utilização de espaços alternativos, valorizando os produtos artísticos do estado e incentivando a literatura.

Fonte: G7 Comunicação

Do blog À Flor da Terra: Pena que desta vez ainda não vem ao Seridó...Mas certamente com o sucesso desta realização, a tendência é que o projeto possa se expandir por todo o Estado.
Elefante Branco, não. Elefante Cultural, sim!

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Um Bonde Chamado Desejo apresenta-se hoje em Natal




A leitura dramática de “Um Bonde Chamado Desejo”, de Tennessee Williams, marca a retomada do Centro Experimental de Teatro do RN. O evento, promovido pelo Governo do Estado, através da Fundação José Augusto, será hoje as 19h, no Teatro de Cultura Popular (anexo da FJA).
A data foi escolhida também para comemorar o Dia Mundial do Teatro, oficialmente 27 de março. A entrada é gratuita.
O Centro, fechado há quatro anos, terá um novo formato de atuação. Sem espaço físico definido, irá realizar ciclos de leituras dramáticas e oficinas livres, inclusive no interior do estado.
Sob a direção de João Marcelino, o texto de 1947 renasce com os atores Cláudia Magalhães, Luana Vencerlau, Potyra Pinheiro, Gilberto Sérgio da Costa, Arlindo Bezerra e George Hollanda.
A trama de “Um Bonde Chamado Desejo” leva ao palco uma crítica sobre o modo como as instituições da sociedade americana pós-guerra agiam em relação às mulheres. Blanche e Stella pensam que a companhia masculina é o único modo de alcançar a felicidade e dependem dos homens para sustento e conservação de sua auto-estima.
A peça, que rendeu ao autor o Prêmio Pulitzer, reúne amor, desejo, homossexualidade, suicídio, estupro, loucura. Entra em cena a autoafirmação do homem em detrimento da fragilidade da mulher, uma sociedade machista, a devoção pela pessoa amada e a intolerância cruel das relações sociais. É a partir desses referenciais que começa essa viagem, tomando o bonde do desejo criado por Tennessee.

Fonte/Imagem: Fundação José Augusto - FJA

Do blog À Flor da Terra: O Centro Experimental de Teatro do RN estava fechado há 4 anos e agora, na gestão de Rodrigo Bico, retoma com apresentação desta trama e não só isso, mas também a realização de ciclos de leituras dramáticas e oficinas livres que, inclusive, vão chegar aqui no interior do Estado, porque quem entende de arte e cultura, faz acontecer, e vai além do palco. 
Um espaço de cultura não é somente para apresentações esporádicas, ou pior, para ser reconhecido como "elefante branco", mas para fazer brotar arte naqueles que ainda não a conhecem, para criar, para descobrir e fazer nascer artistas, a cada dia, no seio da cultura local, e assim promover o desenvolvimento artístico cultural e social de um povo, nos palcos daqui e d'acolá...

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Audiência Pública discute situação instável da Casa de Estudantes de Caicó







A Câmara Municipal de Caicó realizou audiência pública terça-feira, dia 24, através do Centro de Estudos e Debates, para discutir as dificuldades enfrentadas pela Casa do Estudante de Caicó. O autor da solicitação foi o presidente do Poder Legislativo, Nildson Dantas, e participaram das discussões os demais vereadores, representantes da 10ª DIRED, igrejas, sindicatos, associações e demais representantes da sociedade civil organizada.
Segundo Nildson, havia uma série de dúvidas, como a questão documental que deve esclarecer a quem cabe contribuir oficialmente com a Casa. “Queremos soluções definitivas e, por isso, criamos uma comissão com a presença de membros da Câmara, da sociedade e dos estudantes. Preliminarmente, nós conhecemos como funciona a instituição que hoje comporta 51 sócios, mas apenas seis são de Caicó. O restante é de cidades do Rio Grande do Norte, Sertão da Paraíba, Ceará e até São Paulo”, destacou o presidente do Legislativo
Para o presidente da Casa do Estudante, Marthnelly Sousa, a partir de agora foi lançado um olhar mais aprofundado sobre as problemáticas enfrentadas. “Em termos de ajuda o que existe hoje é um TAC (termo de ajustamento de conduta), que obriga o Governo do Estado a fornecer alimentos e material de limpeza durante seis meses, sendo possível renová-lo”, explicou Marthnelly. “Mas também há graves problemas na infraestrutura do prédio”, completou.
Diante disso, o presidente da Câmara, Nildson, declarou que a assessoria irá analisar a documentação da Casa do Estudante, para discutir a viabilidade dos convênios.
Hoje a comissão tem reunião agendada com o prefeito interino de Caicó, Oriel Segundo, e na próxima semana pela Secretaria Estadual de Trabalho, Habitação e Assistência Social (SETHAS).

Fonte e Fotos: Assessoria da Câmara de Vereadores/Caicó
 

Anna Jailma - jornalista e blogueira